No currículo: Olimpíadas London2012!
Reflexões

No currículo: Olimpíadas London2012!




Os anéis no alto de um morro: atração que fazia fila o dia inteiro. Todos queriam uma foto lá :)
Os anéis no alto de um morro: atração que fazia fila o dia inteiro. Todos queriam uma foto lá 🙂

 

Ontem à noite aconteceu o encerramento das Olimpíadas 2012, e eu mal saí do Parque Olímpico de manhã, já sentindo falta daquele lugar. Hoje acordei triste por ter passado tão rápido! Nesse post eu vou escrever um pouquinho sobre o que/como foi trabalhar no maior evento esportivo do mundo, meu primeiro trabalho em Londres e uma experiência inesquecível que vou contar pros meus filhos, netos e pra quem quiser ouvir!

 

Eu na frente do Estádio Olímpico.
Eu na frente do Estádio Olímpico.

Exatamente um ano atrás, quando pedi demissão do meu trabalho no Brasil, meu até então chefe me falou “que bacana, você vai pra Londres bem em ano de Olimpíadas! Tenta achar algo pra fazer lá”, e foi aí que eu me toquei e comecei a querer muito conseguir isso. Tive a sorte de nem ter que procurar muito… Em Abril, parece que caiu de paraquedas esse trabalho e no começo de Julho, com meu crachá em mãos, tive a certeza de que iria participar das Olimpíadas em Londres! Parecia um sonho e até hoje, depois de ter acabado, ainda parece!

cracha-olimpiadas-2012

 

No dia 27 de Julho, quando iria acontecer a Cerimônia de Abertura, eu já acordei apreensiva e muito ansiosa. No dia seguinte eu iria começar no meu primeiro trabalho, e já no Parque Olímpico! Assisti à transmissão e fiquei empolgada e emocionada pensando em como era bacana fazer parte de algo tão grande. Na hora dos fogos, fomos até a sacada do prédio e ainda vimos o céu mudando de cor com o show de luzes que acontecia bem próximo ao nosso bairro. Não preciso nem dizer que mal consegui dormir, né? Além da empolgação, eu estava com muito medo de não conseguir entender os clientes e os meus colegas e de não conseguir me comunicar… Era a primeira vez que seria obrigada a conversar pra sobreviver!

 

O Velódromo e o Parque vazio às 7am.
O Velódromo e o Parque vazio às 7am.

 

Chegou então o dia 28, esperado ansiosamente por mim desde Abril, quando soube que iria trabalhar nos jogos. Entrar no Parque logo de manhãzinha (meu turno ía de 6:30 às 15:00), quando só os trabalhadores estavam lá e ver tudo aquilo de pertinho, é algo que nunca vou esquecer. Foi a primeira vez que fiquei deslumbrada, mas como a boba que sou, todo dia que chegava lá, ficava olhando tudo e babando como se fosse o primeiro dia… Era tudo tão grande e tão lindo, que impressionava! Conheci meus colegas de trabalho e já percebi que não seria tão difícil assim me comunicar com eles e que o trabalho em si não era tão complicado. Trabalhei durante todos os dias bem na frente da arena de basquete (de costas pra ela) e de frente para o Velódromo, minha construção preferida lá! A vista era de babar…

 

Vista de onde eu trabalhava.
Vista de onde eu trabalhava.

 

Quando chegava a hora do almoço, eu ía andando pelo Parque Olímpico tirando mil fotos como se fosse um turista e sentindo toda a animação do pessoal que estava lá. Era gente do mundo inteiro, vestida ou toda pintada com as cores de suas bandeiras, cantando e gritando pelo lugar, usando perucas e outros acessórios bem estranhos… Os brasileiros sempre se destacavam, eram sempre os mais barulhentos e até uma dupla vestida como os guardas daqui eu vi, só que a calça era azul, a blusa amarela e o chapelão era verde. Todo mundo que passava, tirava foto com eles! O Parque vivia extremamente lotado e era difícil até de andar de vez em quando. Dava pra ouvir a vibração dentro das arenas sempre que acontecia uma cesta/gol/ponto e eu amo ouvir isso.

 

Eu com o chapéu do guarda e ele com o meu boné.
Eu com o chapéu do guarda e ele com o meu boné.

 

Sempre fico emocionada quando muita gente torce ao mesmo tempo. Foi muito legal poder sentir e ver tudo isso, é um clima gostoso e simplesmente inesquecível! Cada dia acontecia uma coisa diferente: apresentação de bandas ou cantores, o mascote Wenlock imenso sendo carregado por um carrinho desfilando pelo Parque, um pessoal contratado pela Coca-Cola que ficava brincando e animando o pessoal, os guardas eram uma atração à parte, sempre brincando e tirando fotos com todo mundo, etc. Toda vez que o Team GB ganhava uma medalha de ouro, era anunciado nos alto falantes e todo mundo começava a aplaudir e gritar. No Park Live, centenas de pessoas ficavam sentadas na grama assistindo às competições por um telão enorme que foi instalado no rio e torcendo. Nem a chuva castigou tanto assim! Choveu no máximo 3 vezes e quem estava lá nem se importou em ter que se molhar, já que um espaço coberto era raro. Tudo era motivo festa!

Chuva logo cedinho antes do Parque abrir.
Chuva logo cedinho antes do Parque abrir.
Wenlock desfilando pelo Parque.
Wenlock desfilando pelo Parque.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fora participar dos jogos ativamente como uma “games maker” – como eram chamados os trabalhadores nas Olimpíadas -, ainda tive a oportunidade de ir a alguns jogos e conhecer algumas arenas por dentro. Fui ver com o meu pai o Brasil ganhando da Holanda no vôlei de praia feminino em Horse Guards Parade, uma arena de praia montada entre o Buckingham Palace, o Big Ben e a London Eye, bem no centro de Londres! Era lindo o lugar e bem animado, com dançarinos de biquini e sunga, mesmo com o frio que fazia naquela noite.

Horse Guards Parade ainda vazia antes do jogo.
Horse Guards Parade ainda vazia antes do jogo.
Brasil vence a Russia (1o jogo).
Brasil vence a Russia (1o jogo).

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois, fui ver com meu marido e meu pai, meus amados do vôlei masculino ganhando da Russia em Earl’s Court. Consegui entrar na arena de Basquete por alguns minutos e era simplesmente incrível lá dentro. Conheci a arena de Hockey na primeira vez que fui ao Parque Olímpico… O André ainda entrou no Centro Aquático e assistiu à várias finais da natação e no Estádio Olímpico, ele viu algumas finais do atletismo. Ontem nós dois voltamos à Earl’s Court e tivemos o (des)prazer de assistir à final do vôlei masculino, quando eles tinham a medalha de ouro nas mãos, mas deixaram a Russia ganhar! Saí de lá morrendo de raiva, porque era um sonho ver o Brasil ganhando uma final Olímpica e eles deram uma bobeada muito feia!

Detalha em Earl’s Court.
Detalha em Earl’s Court.
Eu na Arena de Basquete.
Eu na Arena de Basquete.

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu fiquei com medo do caos que iria se tornar o transporte público e a cidade abarrotada, assim como todos os londrinos, mas me surpreendi! Talvez por sair de casa de madrugada e voltar no meio da tarde, mas as saídas dos eventos que fui foram muito “suaves”. Era muita gente saindo ao mesmo tempo, mas tudo fluía com bastante rapidez e as linhas de metrô praticamente não tinham atrasos (até onde eu vi). Muita segurança tanto dentro do Parque quanto nas ruas, muita gente dando informação e tudo muito bem sinalizado.

Vista linda do Parque.
Vista linda do Parque.

 

O balanço final foi totalmente positivo. Tenho histórias e memórias pra levar comigo pro resto da vida, fiz amigos muito legais, conheci pessoas muito bacanas do mundo inteiro, conheço o lindíssimo Parque Olímpico como a palma das minhas mãos, pude sentir perfeitamente como é fazer parte das Olimpíadas (que eu amo desde pequenininha e sempre acompanhei), vi o Brasil ganhando duas vezes, pude ver as transformações feitas na cidade e ver como as pessoas ficaram mais felizes pelas ruas nesse período e ainda adquiri minha primeira experiência internacional, que vai dar um belo upgrade no meu currículo! Ontem mesmo já tinha conseguido uma entrevista! Nem o fato de ter que acordar todos os dias às 4h da manhã, me deixa menos feliz.

 

Arena de Basquete por fora.
Arena de Basquete por fora.

 

Agora é voltar à vida normal e tentar aos poucos, não sentir a tristeza de ter acabado tudo tão rápido… Ontem, ao assistir à Cerimônia de Encerramento, não pude conter o choro e a emoção, sinto um orgulho enorme por ter feito parte de tudo isso, e de alguma forma, ter contribuído e ajudado a fazer tudo acontecer tão bem. Daqui alguns dias começam as Paralimpíadas (sim, sem o O no meio :p) e eu vou estar lá mais uma vez! Se eu puder, no Rio em 2016 também vou querer trabalhar nas Olimpíadas, dessa vez no meu país! Espero que tudo seja tão lindo e organizado como foi por aqui e que os problemas sejam pequenininhos e contornáveis, como foi tudo em Londres. Simplesmente amei cada minuto dessa experiência, e sinto como se fosse uma nova pessoa, mais confiante e mais feliz!

 

Que venha Rio2016!
Que venha Rio2016!

 

 

 

ENCONTRE HOTÉIS BARATOS EM LONDRES

booking banner

Veja também

Legado Olímpico: “The Orbit” vai virar o maior escorregador do mundo!

Verão Olímpico em Londres

Disqus shortname is required. Please click on me and enter it

05 Comments

  1. Ana Carla

    Adorei o post, se assistir aos jogos olimpicos já é um sonho, imagine fazer parte disso tudo! Até fiquei com vontade de me inscrever como voluntária apara as olimpíadas do Rio 🙂

    16/08/2012 Responder
  2. Luiza Ferrari

    Brigadão, Ana Carla! 🙂
    Realmente vale a pena, mesmo que como voluntário. A experiência é bem bacana.
    Bjinho

    16/08/2012 Responder

LEAVE A COMMENT